Empresa


FAAC

 

FAAC - 10 milhões de euros para ajudar menos favorecidos

 

Dez milhões de euros: este é o belo pacote que a diocese de Bolonha teve dos dividendos de FAAC de 2018, a multinacional de portões automáticos que a diocese herdou do falecido proprietário Michelangelo Manini.

 

E todos foram utilizados, em 2019, seguindo a indicação do doador, para "boas" obras: caridade e assistência a indivíduos e famílias, apoio à frequência escolar, ajuda a imigrantes, a quem buscava ou perdia o emprego.

 

Agora a diocese decidiu divulgar publicamente como esses enormes fundos foram e serão usados. ”Dos 10 milhões - explica o vigário geral para a administração, monsenhor Giovanni Silvagni - um foi tributado e 6,5 foram destinados a ações sociais e de caridade”. Restam 2,5, preservados, sobretudo para emergências ».

"O valor exato do montante alocado é de 6 milhões 492 mil e 441 euros - especifica o vigário episcopal de Charity, Don Massimo Ruggiano -. Destes, 1 milhão foram utilizados pela Caritas diocesana e pelas igrejas paroquiais, 1 milhão e 320 mil para combater a dispersão escolar e para atividades extracurriculares; 1 milhão para o projeto “Juntos pelo trabalho”. Os 2 milhões e 671 mil restantes foram distribuídos por um grande número de projetos de ajuda: 32 na diocese, 3 em outras áreas da Itália, 19 nos países missionários ".

 

Uma distribuição justa, portanto, que a diocese utilizou acima de tudo através da Caritas paroquial e regional, em pontos sensíveis no território. “É graças a eles que conseguimos identificar necessidades e ajudar concretamente” - diz Don Matteo Prosperini, diretor diocesano da Caritas. Em 2019, 178 paróquias pediram ajuda com os fundos da FAAC, que, por sua vez, apoiaram 1.770 famílias. E a maior ajuda, é claro, foi o pagamento do aluguel e serviços públicos.